A incontinência urinária e seu tratamento

É comum que homens e mulheres cheguem à terceira idade com dificuldade de controlar a vontade de urinar, o que por vezes pode gerar situações constrangedoras para o idoso.

Isso acontece porque, com o passar do tempo, o chamado assoalho pélvico – responsável por sustentar os órgãos pélvicos – fica mais frágil e seus músculos já não conseguem contrair a uretra e evitar a perda de urina.

A boa notícia é que há tratamento para incontinência urinária e ele pode ser feito através da fisioterapia uroginecológica. Continue lendo e entenda como ela pode melhorar a qualidade de vida dos que sofrem de algum problema do trato urinário.

Como funciona a fisioterapia uroginecológica?

Primeiramente, o fisioterapeuta faz uma análise do quadro do paciente, entendendo o problema que ele apresenta e em qual estágio ele se encontra. A partir do diagnóstico, ele indica qual é a melhor forma de aplicar a fisioterapia uroginecológica. Algumas opções são:

  • Biofeedback

Esta técnica proporciona ao fisioterapeuta identificar como está a capacidade do assoalho pélvico em fazer movimentos naturais como contrair e relaxar.

  • Calendário Miccional

Geralmente indicado para aqueles que sofrem de incontinência urinária, este exercício consiste em acompanhar durante determinado período (cerca de 72 horas) a atividade urinária de um paciente.

São observadas a frequência com que ele urina (e quais são os horários), quantas vezes por dia ele apresenta incontinência urinária e a quantidade de líquido ingerido e expelido.

Assim, o fisioterapeuta pode orientá-lo na adoção de ações práticas mais saudáveis para o trato urinário.

  • Cinesioterapia

Também conhecida como Exercícios de Kegel, a cinesioterapia é baseada no fortalecimento do assoalho pélvico. Além de deixá-lo mais resistente, ela aumenta a circulação de sangue na região, o que proporciona mais prazer nas relações sexuais.

  • Estimulação elétrica

Esta técnica é segura e consiste em deixar os músculos da região pélvica mais fortes através de estímulos elétricos. A prática pode ainda eliminar eventuais dores locais.

É importante frisar que é o fisioterapeuta que indicará a possibilidade de que o paciente se submeta a uma ou mais técnicas da fisioterapia uroginecológica.

Para quem é recomendada este tipo de fisioterapia?

Algo interessante é que a fisioterapia uroginecológica serve para o tratamento não só para incontinência urinária, mas de todos os problemas decorrentes do enfraquecimento do assoalho pélvico.

Desta forma, também podem se submeter a esta prática pacientes com:

  • Incontinência fecal;

  • Dor pélvica;

  • Disfunção sexual;

  • Constipação intestinal;

  • Prolapso genital (também conhecido como “bexiga caída”);

  • Enfraquecimento do assoalho pélvico por conta da menopausa;

  • Problemas genito-urinários por conta de déficit neurológico;

  • Entre outros.

Gestantes também podem recorrer à prática, já que ela fortalece os músculos pélvicos e auxilia no trabalho de parto e na sua recuperação.

No geral, a fisioterapia uroginecológica é indicada pelos médicos como uma das primeiras opções de tratamento para estes casos, evitando assim que o paciente precise se submeter a intervenções cirúrgicas.

Tenha em mente que imprescindível procurar um profissional qualificado para atendê-lo da maneira correta. Entre em contato com a All-On Saúde Integrada e receba as orientações necessárias para o seu tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *